quarta-feira, 6 de julho de 2016

Conheça história do biquíni, que faz 70 anos nesta terça

Nada melhor que tomar um sol na beira da piscina ou na areia da praia usando um lindo e confortável biquíni. Nos modelos cortininha ou tomara que caia, asa-delta ou sunquini, com as mais variadas cores e estampas e com todos os tipos de destalhes, de pequenos pingentes a lacinhos, uma das peças mais famosas e marcantes da história da moda feminina acaba de completar 70 anos.

Há exatamente sete décadas, os biquínis eram vistos pelo público pela primeira vez. No dia 5 de julho de 1946, o estilista francês Louis Réard realizou um desfile em Paris, expondo a coleção mais escandalosa da década.

Para destacar a sua ideia "bombástica", o nome das novas peças foram inspiradas no Atol de Bikini, no pacífico Sul, onde poucos dias antes os Estados Unidos haviam começado a fazer os primeiros testes nucleares.

Até aquele momento, quando as mulheres usavam uma roupa de banho, endossavam peças que usavam muito mais pano e cobriam uma parte bem maior do corpo. No começo do século 20, o modelo era uma túnica com calças justas. Com o passar do tempo, as blusas e calças foram diminuindo o seu comprimento e as pernas e os braços passaram a ficar mais aparentes.

Logo, os decotes nas costas ficaram maiores. Nos anos 1920, as mulheres já conseguiam até exibir parte das pernas, dos braços e das costas graças, em parte, às peças da estilista Coco Chanel que lançou bermudas justas e acima dos joelhos e decotes mais profundos, o que foi não apenas uma evolução para o mundo da moda, mas sim também para a cultura de tomar sol, até então não muito apreciada.

Mais elásticas e definitivamente mais curtas, as roupas de banho continuavam longe do seu estilo mínimo e moderno atual. Com o desfile de Réard, no entanto, as mudanças começaram a acelerar.
Na década de 1950, por exemplo, o triunfo das pin-ups, com suas roupas (inclusive de banho) de cintura-alta, fez com que o biquíni se tornasse um meio de valorizar um físico cheio de curvas de uma maneira cômoda e sexy. Uma das grandes ídolas dessa fase foi Marilyn Monroe, inesquecível com seu maiô inteiramente branco.

A atriz Brigitte Bardot também fez sucesso com um biquíni em 1957 no filme E Deus Criou A Mulher , modelo cheio de babados que ficou famoso e encorajou várias jovens a usarem as peças, cada vez menores. Na Itália, foi a vez de Sofia Loren popularizar a moda dos biquínis no país, vencendo o prêmio de Miss Eleganza (Miss Elegância) com um duas peças que entrou para história.

Já o biquíni branco com um cinto também branco e pequenos detalhes em dourado usado por Ursula Andress no papel da Bond Girl no filme 007 Contra o Satânico Dr. No foi um dos símbolos da moda de roupas de banho nos anos 1960.

Nas décadas seguintes, as estampas e cores mais vivas começaram a invadir praias e piscinas. Materiais e cortes diferentes entraram na moda, como o biquíni de crochê, as tangas e os lacinhos tão amados nos anos 1970.

Já nos anos 1980, foi a vez dos biquínis asa-deltas e os fios-dentais e das estampas mais elaboradas e até patriotas, como uma usada por Cindy Crawford, que contava com a bandeira dos Estados Unidos aparecendo tanto no top quanto na calcinha.
Pamela Anderson em 'Baywatch'
Pamela Anderson em 'Baywatch'
Foto: Getty Images

Os sunquinis e os maiôs bem cavados foram alguns dos protagonistas da década de 1990, o segundo em parte por causa do sucesso do seriado de TV norte-americano Baywatch , onde salva-vidas, como Pamela Anderson, corriam com suas roupas de banho vermelho-fogo.


E agora, há 70 anos da sua criação, os biquinis, com suas novas modas e influências de décadas anteriores, são cada vez mais vendidos, sendo peças que não devemdesaparecer do guarda-roupa feminino tão cedo.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...