sábado, 13 de fevereiro de 2016

A Imperatriz Leopoldinense quase não cometeu erros em seu desfile colorido para homenagear a dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano.


Comissão de Frente da Imperatriz Leopoldinense - Thiago Freitas / Agência O Globo

A Imperatriz Leopoldinense quase não cometeu erros em seu desfile colorido para homenagear a dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano. Primou por quesitos como harmonia e evolução, sem ser a escola fria de outros carnavais. E o samba de Zé Katimba, se não empolgou o público, confirmou sua qualidade na avenida. Mas teve problemas na iluminação de uma alegoria, no carro sobre a Festa do Divino.

O carnavalesco Cahê Rodrigues resumiu a vida dos filhos de Francisco em sete alegorias e 32 alas. O valor da música sertaneja foi representado por Sérgio Reis, Roberta Miranda e Daniel, entre outros cantores, que desfilaram num carro decorado com 180 violões.

Os homenageados da noite chegaram ao Sambódromo por volta das 22h e foram diretamente para o camarote "É o amor", onde fizeram um show antes do desfile.

— É o tipo de coisa que não tem preparação, é muita emoção. Paula Fernandes e outros sertanejos estão no camarote. Virou uma grande celebração — disseram os sertanejos.

Na concentração da agremiação, Lucy Alves, que cantou o samba e tocou sanfona durante todo o desfile, dizia:

— É de salto 12, tá? — frisou, antes de vestir a bota cravejada de cristais.

Zezé di Camargo com o irmão Luciano ao fundoFoto: Hermes de Paula / O Globo

O desfile da Imperatriz começou mostrando de forma lúdica elementos que compõem o dia a dia da fazenda, onde o caipira, mestre de cerimônias da festa, misturando fantasia à realidade. Sob orientação da coreógrafa Deborah Colker, a comissão de frente, com 14 integrantes, ressaltou a importância do chapéu para o sertanejo.

O abre-alas foi uma carroça em formato de viola. Espantalhos, sentados em bancos de espigas e regidos por um corvo, formaram uma orquestra, que embalou o canto afinado das galinhas. Os cantores sertanejos Chitãozinho e Xororó estavam numa alegoria que era parte da comissão de frente.

— Não tenho palavras. É muita emoção. Momento único estar aqui —- disse Chitãozinho.

A segunda alegoria apresentou o triângulo formado pelas cidades de Goiânia, Anápolis e Brasília, ponto estratégico do escoamento da produção goiana, uma das maiores áreas agropecuárias do mundo. A cantora Paula Fernandes, que veio como destaque num tripé como abelha rainha, vibrou após o desfile:

— Foi uma noite espetacular, inesquecível. Pretendo voltar com certeza.

No terceiro carro, um gigantesco violão serve de palco para a festa sertaneja, onde se destaca o cantor Sergio Reis e o ex-jogador Zico.
—- Foi maravilhoso. Parabéns à Imperatriz pela homenagem aos grandes artistas ZéZé Di Camargo e Luciano. Fico muito feliz de além ser grande amigo deles, poder homenageá-los — disse Zico.

Os convidados acenavam das varandas, suspensas em três níveis. As estruturas eram ladeadas por peças de vaqueiro, como botas, cintos e fivelas. Mais de 200 chapéus complementaram a decoração, assim como 120 violões de verdade. De acordo com a escola, os instrumentos serão doados, posteriormente, a instituições e projetos sociais de música.

A cidade de Pirenópolis, terra da família Camargo, foi retratada na quarta alegoria. O carro também serviu de cenário para a cerimônia de coroação do Imperador, momento marcante da Festa do Divino, que concentra a fé e a esperança do povo. A história dos filhos de Francisco e Helena foi contada na quinta alegoria.

O desfile terminou com a consagração dos dois cantores sertanejos. À frente da alegoria, vieram Francisco e Helena. Os atores Dira Paes e Ângelo Antonio, que vivem os pais de Zezé e Luciano no filme, foram destaques na alegoria, que trouxe uma réplica da casinha onde os irmãos nasceram.

— Hoje, misturou tudo. Depois de dez anos do filme, é uma honra, um privilégio estar aqui. Viva a Imperatriz, que tem esse samba maravilhoso — disse a atriz Dira Paes.

Os homenageados vieram no último carro, todo em estrutura de ferro, com corações, que representa “É o amor”. Seu Francisco, pai dos sertanejos, participou do desfile junto com o resto da família, inclusive os netos:
— Nunca vi carnaval nem na TV. É a primeira vez. E a Imperatriz vai ganhar — disse seu Francisco.

Zezé Di Camargo brincou que o carro em que desfilou com o irmão é baixo:

— O nosso carro é baixo. Tem que ser de acordo com o nosso tamanho — disse ele, bem humorado.

A rainha de bateria da Imperatriz, Cris Viana, contou que adora música sertaneja e está feliz de fazer parte da homenagem à dupla:

— A escola veio leve, linda. Acho que está todo mundo muito feliz, eles também estão muito felizes.

A cantora Wanessa Camargo ficou emocionada:

— Sem palavras. Só tenho a agradecer. Foi uma das maiores emoções da minha vida.

Após faturar o primeiro tricampeonato (1999, 2000 e 2001) da “Era Sambódromo”, a Imperatriz Leopoldinense está sem vencer no Grupo Especial há 14 anos. No ano passado, com um enredo sobre Nelson Mandela e igualdade racial, ficou em 6 º lugar.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...