terça-feira, 8 de julho de 2014

Polícia diz que Edinho foi preso por não ter apresentado passaporte

Edinho foi preso nesta terça-feira e aguarda transferência (Foto: Carlos Abelha / G1)
A não apresentação do passaporte à Justiça causou a prisão de Edson Cholbi do Nascimento, o Edinho, ex-goleiro do Santos e filho de Pelé, na manhã desta terça-feira (8), em Santos, no litoral de São Paulo. Há pouco mais de um mês, Edinho foi condenado a 33 anos de prisão por crime de lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas. O acusado recorria da condenação em liberdade, porém, um mandado de prisão foi cumprido pela Polícia Civil.
O delegado Luiz Henrique Artacho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em Santos, explica que a decisão é da comarca de Praia Grande. “Não existe a prática específica de um crime. O que consta no mandado é um problema com o passaporte dele. A gente não sabe especificamente o motivo. Consta que, por não apresentar este documento, esse caráter de recorrer em liberdade teria sido revogado. Ele já foi condenado por associação ao tráfico de drogas. Ele tinha o direito de recorrer em liberdade e essa revogação houve em virtude desse problema com o passaporte”, explica Artacho.
Delegado da DIG em Santos comentou o caso  (Foto: Anna Gabriela Ribeiro / G1)
Outros quatro condenados
Além do filho de Pelé, Clóvis Ribeiro, o "Nai"; Maurício Louzada Ghelardi, o "Soldado"; Nicolau Aun Júnior, o "Véio"; e Ronaldo Duarte Barsotti, o "Naldinho", foram condenados pelo mesmo crime.
De acordo com as investigações, "Naldinho" era o líder da organização criminosa, que mantinha sua base em Santos e tinha ligação com o Comando Vermelho, no Rio de Janeiro. Além dos réus condenados, outras pessoas integram o grupo, descoberto pelo Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) por meio da Operação Indra, em 2005.
O caso
Edinho foi preso com outras 17 pessoas pela Operação Indra em junho de 2005, realizada pelo Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos), acusado de ligação com organização de tráfico de drogas comandada por Naldinho, Ronaldo Duarte Barsotti, na Baixada Santista. Após seis meses em prisão provisória, foi solto com liminar em habeas corpus concedida pelo STF (Supremo Tribunal Federal).
Em janeiro de 2006, teve a prisão decretada com o aditamento da denúncia, que passou a incluir o crime de lavagem de dinheiro. Mas obteve o direito de permanecer em liberdade graças a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...