domingo, 11 de maio de 2014

Morre ex-jogador brasileiro que brilhou no exterior com mulheres e artistas

Yeso Amalfi, que conhecia artistas como Sophia Loren e Brigitte Bardot, ao lado da primeira esposa, Colette
Morreu na madrugada deste sábado, vítima de falência múltipla de órgãos, o ex-jogador Yeso Amalfi, 90 anos, conhecido como um dos primeiros jogadores das história do Brasil a fazer sucesso no exterior, tanto na América do Sul como na Europa.

No futebol sul-americano, fez sucesso no Boca Juniors e no Peñarol. Na Europa, atuou por Monaco, Olympique de Marselha e Torino, entre outros. Apesar de nunca ter jogado uma Copa do Mundo pela seleção brasileira, Yeso foi ídolo na França, onde se destacou atuando pelo Nice. "Foi onde ele foi mais idolatrado. Chamavam ele de 'Deus do estádio' lá", lembra o filho Fábio Amalfi.

Definido com um bôemio pelo filho, Yeso namorou diversas celebridades, como as atrizes Sophia Loren e Brigitte Bardot. "Elas eram apaixonadas por mim", garantiu, em entrevista à TV Globo, em 2010. O filho Fábio se recorda do affair com Bardot, e revela que, às vezes, Yeso até a dispensava: "Quando ela vinha ao Brasil, ligava lá em casa e ele pedia para minha prima dizer que ele não estava".

Yeso viu seu nome ganhar fama pela história de ter apresentado a atriz norte-americana Grace Kelly ao príncipe Rainier, de Mônaco. "Fui o cupido.  Eu dominava tudo, era o rei lá", afirmou, também em 2010. Fábio confirma a história e lembra de mais um amigo famoso do pai: o pintor Pablo Picasso.

No Brasil, Yeso jogou no São Paulo, onde iniciou a carreira, e no Palmeiras, e atuou ao lado de nomes como Leônidas da Silva e Heleno de Freitas. Apesar de ter jogado por tantos times, era com o tricolor paulista que Yeso mais se identificava. "Era o time de coração dele", atesta Fábio. Além de Yeso ter começado a carreira no São Paulo, sua família é praticamente toda são-paulina: o primeiro presidente do clube era seu primo, Manoel do Carmo Meca.

No que depender de Fábio, a memória de Yeso vai continuar viva: ele está arrecadando para realizar um documentário sobre a vida do pai. "Ele era o meu herói", define.

Homenagem

O São Paulo vai fazer um minuto de silêncio em homenagem a Yeso no clássico deste domingo, contra o Corinthians. Em nota, o clube lamentou "com profundo pesar e saudade" a morte do ex-jogador, e relembrou sua carreira no time, pelo qual foi bicampeão paulista, em 1945 e 1946.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...